MDF e MDP - Arte Reale Moveis Planejados PREMIUM

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Como é Produzido

MDF ou MDP, QUAL É O MELHOR?

Se tem algo que costuma provocar muitas dúvidas no momento da compra de um novo móvel são duas siglas que designam os materiais utilizados na fabricação das peças: MDF e MDP. São mesmo diferentes? Uma é melhor que a outra? Qual é a melhor aplicação para cada uma delas?

MDF é indicado para pinturas, revestimentos e peças usinadas

A começar. Sim. Elas são diferentes. Embora derivem das mesmas espécies de madeiras reflorestadas (pinus e eucalipto) e sejam fabricadas pelo mesmo processo e com idêntica tecnologia, o Medium Density Fiberboard (MDF) tem seu miolo composto por fibras de madeira e o Medium Density Particleboard (MDP) é feito com partículas de madeira.

O MDP é produzido em três camadas: uma grossa no miolo e duas finas nas superfícies. Essa composição heterogênea garante ao produto grande resistência estrutural, conferindo maior resistência ao empenamento e à colocação e remoção de parafusos, além de torná-lo um material mais leve. É perfeito para projetos de linha reta/plana, como caixas, prateleiras lineares e portas, que não possuam cortes ou marcações em baixo relevo. Toda a tecnologia empregada na prensagem de chapas, separação de partículas e desenvolvimento de resinas posicionam hoje o MDP em uma categoria muito superior ao antigo aglomerado, com o qual é erroneamente confundido.

Já o MDF, por sua vez, é um material uniforme, plano e denso, resultado da aglutinação de fibras de madeira com resina sintética, sendo, por sua homogeneidade, uma madeira que permite mais criatividade no design. Fica mais fácil, com isso, a aplicação de cortes, usinagem em baixo relevo e entalhamento e nas partes aparentes dos móveis, onde serão aplicados acabamentos finais.


 

MDF

O MDP é perfeito para projetos de linha reta, tem alta resistência ao empenamento e à aplicação de parafusos.

Outra grande diferença entre o MDF e o MDP é o nível de absorção de tinta: o MDP tem alta absorção no acabamento final enquanto o MDF não. Assim, para essa finalidade, as placas de MDF tornam-se mais vantajosas, já que permitem, por exemplo, que a finalização da pintura em laca seja mais homogênea, sem irregularidades na superfície. Essa característica também influencia na relação custo-benefício.
No final das contas, cada um cumpre seu papel, e são excelentes quando usados na aplicação correta.

Nós da ARTE REALE MOVEIS PLANEJADOS trabalhamos com ambas as matérias-primas. Cabe ao profissional especificador e o consultor de ambientes conciliarem as melhores aplicações em cada caso em um mesmo projeto.


 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal